O famoso período de um mês que antecede os aniversários é tido por muitos como o temido “inferno astral”. Aquela fase em que tudo dá errado, a energia pesa e coisas estranhas acontecem. Porém, apesar da sua grande popularidade, ele não passa de uma lenda, uma generalização que não funciona para a Astrologia. 

Para começar, devemos lembrar que o céu nunca é o mesmo, ele se modifica desde o momento em que nascemos, o que representa nossa constante evolução. Os trânsitos e progressões são os principais disparadores de eventos marcantes sinalizados pelo mapa de uma pessoa, e eles acontecem independente da época do ano. Entretanto, o último mês antes do aniversário simboliza o fechamento de um ciclo e é isso que vamos explicar a seguir. 

Origem do conceito de inferno astral

Para a Astrologia, o ano novo de cada pessoa começa oficialmente quando ela faz aniversário. Por isso, analisamos esses doze meses como um percurso de renovação e até mesmo, renascimento. Assim, é natural que perto da data de fechamento desse ciclo, a gente esteja cansado, com pouca energia, o que acaba coincidindo com o período do “inferno astral” e a sensação de que as coisas não estão indo bem. 

Desde o momento do nascimento de uma pessoa, a cada mês o sol passa por uma Casa do seu mapa, trazendo à tona seus assuntos respectivos. Ao passar pela Casa 12, que representa o mês que antecede o aniversário, ele deixa mais visíveis temas como solidão, medo, questões espirituais, que estão relacionados à essa área. Porém, o ciclo do Sol é bem sutil e essa passagem não é algo tão marcante a ponto de transformar sua vida em um paraíso ou inferno. 

Todo fechamento de processos gera mudanças e isso pode ser positivo ou negativo, depende da forma como lidamos. O mês que antecede o aniversário é justamente uma representação de um ciclo que se encerra para o nascimento de outro, é um processo de vida, morte e vida. 

A Revolução Solar 

Esse renascimento anual é conhecido como Revolução Solar. O mapa da Revolução Solar é feito anualmente, com base no momento em que o Sol em trânsito retorna à mesma posição em que ele estava no dia e hora em que nascemos, ou seja, um mapa de aniversário. Ele revela tendências para o nosso próximo ano, incluindo pontos que devem ser trabalhados ao longo dos doze meses em um processo de evolução e autoconhecimento. 

É importante entender a diferença entre o Mapa Astral e o mapa da Revolução Solar. O primeiro é a representação gráfica de como os astros estavam no exato momento em que nascemos. Ele reúne qualidades e características que precisam ser trabalhadas ao longo da vida, desafios, os traços da personalidade, a forma como a pessoa lida com sua família, seu trabalho, seus amores. É um mapa abrangente e uma importante ferramenta de autoconhecimento. 

Já o mapa criado a partir da Revolução Solar é diferente a cada ano, justamente por que esse retorno do Sol pode acontecer a qualquer hora do dia. Ele atua como um indicativo do ano de cada pessoa, reunindo oportunidades e desafios que iremos encontrar pela frente. Dessa forma, pode ser um instrumento para aproveitarmos melhor as energias do ano, trabalharmos de forma mais focada e produtiva em nossas carências, conduzindo assim nosso processo de crescimento e evolução. 

Baseado nessa técnica, o mês que antecede o aniversário, por ser o último do ciclo, se propõe a ser um momento de balanço, de avaliação do que passou, por isso remete à reflexão e ao recolhimento. Com a correria da vida, a pressão em que vivemos diariamente e distrações que cruzam nosso caminho, muitas vezes não conseguimos fazer essa pausa, o que pode resultar em uma sensação de esgotamento e consequentemente, de que tudo está dando errado. 

A necessidade de olhar para dentro 

Portanto, voltando a pergunta inicial: inferno astral não existe. É possível que você passe por um trânsito astrológico desafiador em diversos momentos da vida, afinal o céu muda a cada dia, mas não necessariamente isso acontece um mês antes do seu aniversário. 

Aproveite os últimos dias antes do seu ano novo pessoal para se reconectar com o seu interior. Busque, dentro da sua realidade: 

  • Diminuir o ritmo;
  • Se recolher mais; 
  • Fazer um balanço dos meses que passaram;
  • Agradecer pelos aprendizados;

Nada disso deve ser um peso. O que foi conquistado, é uma vitória. O que não foi, continuará nos objetivos do próximo ano, se ainda fizer sentido. Assim, você irá se preparar para receber novas energias e, pós aniversário, correr atrás dos propósitos do novo ano. 

A Astrologia é um importante recurso que pode te ajudar a descobrir onde mora seu poder de realização, a perceber os ciclos da vida e como lidar melhor com eles, reconhecendo suas qualidades e dificuldades e explorando suas potências. 

Ficou curioso? Acesse os vídeos no canal da astróloga Cláudia Lisboa no YouTube para conferir um conteúdo completo sobre a Astrologia contemporânea e entenda um pouco mais do poder dos astros em nossa vida:   

https://www.youtube.com/channel/UCdSmm6Wp1vexPuoZh_yRDIw