Nosso Sistema Solar conta com nove planetas. Em ordem de proximidade ao Sol, são eles: Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano,
Netuno e Plutão.

Na Astrologia, excluindo a Terra, que é o planeta que habitamos, são eles que compõem o nosso Mapa Natal, considerando também os luminares Sol e a Lua. Cada planeta representa uma capacidade do ser humano. E quando analisamos essa capacidade, combinada com o signo em que ocupa, temos as singularidades do indivíduo.

Mercúrio em Peixe, por exemplo, nos mostra uma forma comunicação mais sensível e intuitiva, diferente daquela séria e pragmática de Mercúrio em Capricórnio.

Para te ajudar a entender um pouco o que cada planeta representa na
interpretação astrológica, preparamos um guia introdutório para você
mergulhar nos mistérios desses corpos celestes:

Sol e Lua: os Luminares

Para a astrologia, Sol e Lua são considerados planetas. Por estarem muito
próximos à Terra e serem vistos com facilidade, são chamados de Luminares.

Eles são os personagens centrais do nosso mapa natal, aqueles que formam,
junto ao ascendente e ao meio do céu, a base da nossa individualidade. Enquanto o Sol faz uma volta completa nos doze signos do zodíaco em um
ano, a Lua faz essa mesma volta em pouco menos de um mês, ou seja, ela fica em torno de dois dias e meio em cada signo. Por isso, enquanto para
identificarmos o signo solar basta o dia de nascimento, para descobrirmos o
signo lunar é preciso fazer alguns cálculos.

Independente do gênero, o Sol e a Lua estão relacionados com os modelos
arquetípicos de masculino e feminino, respectivamente. O Sol representa a
nossa essência, a razão e a capacidade de autoafirmação
. Já a Lua, é a
emoção.
Como demonstramos nossa forma de amar e ser amado, como
cuidamos dos nossos afetos, o que nos nutre emocionalmente.

Mercúrio: o intelecto

No Sistema Solar, Mercúrio é o planeta mais próximo do Sol e possui uma
órbita muito rápida. Talvez por isso, por sua intensa movimentação pelos
céus, foi batizado na mitologia romana como o “mensageiro dos deuses”. É o planeta que rege os signos de Gêmeos e Virgem.

Sua posição no mapa nos ensina sobre como nos expressamos, o que
desperta nossa curiosidade e nos ajuda a entender qual é o nosso meio de
expressão mais natural. A vida é uma troca constante. Precisamos nos fazer
entender e também entender o outro e é disso que Mercúrio nos fala: troca, movimento e diversidade.

Sua posição em signos do elemento Fogo de forma geral remete ao bom senso de humor, uma impulsividade na fala e às vezes, até mesmo uma certa agressividade na forma de se expressar.

Já nos de Água, simboliza a expressão por meio da sensibilidade, uma comunicação que pode ter o dom de emocionar.

Pessoas com Mercúrio em signos de Terra de forma geral tendem a ser objetivas e pragmáticas na comunicação. Para elas o importante é passar a mensagem de forma clara e eficiente.

Nos signos de Ar, Mercúrio encontra um terreno fértil para sua curiosidade inata. Esses nativos costumam gostar de uma boa conversa e fazer conexão entre diversos saberes.

Vênus: a afeição

Vênus, o planeta feminino movido pela paixão e pela sexualidade, representa no nosso mapa aquilo que nos atrai e nos faz ser atraente.

Na mitologia grega é representado por Afrodite, a deusa do amor e da beleza. Regente de Touro e Libra, sua posição pode nos dar dicas preciosas sobre aquilo que nos desperta tesão na vida e entender melhor como lidamos com nosso fluxo afetivo.

Quem tem Vênus em signos de Terra trata o amor de forma mais real e
pragmática, expressando seu afeto de forma mais palpável, através de ações práticas.

Para Vênus nos signos de Ar, o afeto se dá a partir do diálogo, da
troca e do intelecto. Uma boa conversa pode ser a melhor forma de conquistar.

Para os nativos com Vênus em signos de Água, floresce o romantismo e a
imaginação. A pessoa se encanta por uma ideia, que pode ou não ser real.

Já no caso dos signos de Fogo, ela se manifesta com empolgação, calor, vitalidade. São pessoas apaixonadas pela vida e intensas e essa chama é também o que as atrai.

Marte: a ação

Temido e adorado, Marte é o planeta regente do signo de Áries, símbolo da
nossa força e da capacidade de ir à luta.

Na mitologia grega, chamado de Ares, ele é um deus odiado por todos pois é muito agressivo e truculento. Já na romana, Marte é associado à coragem e proteção, sendo venerado pelos romanos. Essas formas de interpretar Marte simbolizam a diferença entre o bom investimento da nossa força e o investimento puramente agressivo.

Como queremos viver nosso Marte?
Nativos com Marte em signos de Terra tendem a ser pacientes e perseverantes, atingindo seus objetivos pela resistência.

Quando em signos de Água, uma forma de vencer os objetivos é através do poder de persuasão.

Os signos de Ar, inteligente e racionais, conquistam seus objetivos na lábia,
apostando na argumentação.

Já os de Fogo lutam suas batalhas na raça, tendo a coragem como guia.

Júpiter: a direção

Maior planeta do Sistema Solar, Júpiter é como um foco de luz que nos
aponta o caminho a seguir, a direção certa para nosso crescimento e evolução.

A posição de Júpiter no mapa indica situações nas quais podemos nos sentir
seguros para levar adiante nossos sonhos. Regente de Sagitário, ele
representa motivação, proteção e sorte.

Quando temos Júpiter em signos de Terra costumamos ter uma visão mais
prática e objetiva da vida, apostando no trabalho, na persistência e até
mesmo na materialidade como meio de evolução.

Já os de Água, optam por um caminho não tão objetivo, guiado pela intuição e sensibilidade, uma busca em coisas mais imateriais.

Mentais, os nativos com Júpiter em signos de Ar gostam de entender o caminho, de saber do que se trata. Se desenvolvem a partir da sua curiosidade intelectual e de interação com o meio social.

Em signos de Fogo, Júpiter se manifesta pelo calor e vitalidade. A capacidade de enfrentar os desafios é o modo que essa pessoa tem de crescer e evoluir.

Saturno: as limitações

Conhecido como o senhor do tempo, Saturno nos ensina os limites da
realidade, traz amadurecimento e nos demanda disciplina, perseverança e pé no chão através de situações nem sempre muito agradáveis. Talvez por isso seja um planeta que não conta com a simpatia da maioria das pessoas.

Regente do signo de Capricórnio, ele representa a organização da nossa
individualidade. As experiências relacionadas ao signo onde está Saturno nos trazem a oportunidade de experimentar limites, maturidade, disciplina e em muitos casos, frustração.

Aqueles nascidos com Saturno em signos de Terra não têm tanta dificuldade em trabalhar aspectos ligados à disciplina. Colocam no objetivo, no ponto onde se sentem seguras, toda capacidade delas de se organizar e lidar com seus limites.

Já para os signos de Água é mais difícil, pois as emoções não são lógicas e conseguir organizar esse fluxo de humores é mais complicado.

Quem tem Saturno nos signos de Fogo gosta de testar seus limites, ver do
que é capaz e como dá conta dos desafios.

Quando em signos de Ar, existe o estudo, o planejamento, para saber como organizar o dia a dia e como se preparar para esses limites.

Urano, Netuno e Plutão: os Geracionais

São os chamados planetas além de Saturno. Os transaturninos foram
descobertos através do uso de instrumentos e não pela observação a olho nu.

Assim, na Astrologia, eles representam dimensões do ser que precisamos de
recursos extras para acessar, o que está no inconsciente, nas profundezas e
não na superfície.

Distantes do Sol e da Terra, possuem uma órbita muito grande e levam muito tempo para dar uma volta completa em torno do Sol, a chamada Revolução.

Urano possui em revolução de 84 anos. No caso de Netuno, este mesmo movimento leva cerca de 160 anos, enquanto Plutão demora 249 anos. Por isso, estão associados a uma obra mais do coletivo do que a singularidade de cada pessoa, daí a denominação Geracionais.

A posição de Urano em nosso mapa fala sobre independência, vontade de
mudança, liberdade.

Netuno fala de intuição, sensibilidade, de nossos sonhos e de aspirações que habitam nosso subconsciente.

Plutão, o mais lento dos planetas, representa em nosso mapa a transformação e a regeneração, como podemos mergulhar e compreender nosso interior.

Ao olharmos o caráter coletivo de cada um, podemos entender que quando
falamos de Urano, nos referimos a condição de liberdade de uma geração.
Netuno representaria os sonhos de uma geração e por fim teríamos Plutão simbolizando as profundas transformações acontecidas naquele ciclo da humanidade.